APS MAME FAMEW CAMARA EXPLIQUE L’IMPORTANCE DE LA PLACE DE LA FEMME DANS SES ŒUVRES GNA Africa should address challenges of Covid-19 – President Akuffo Addo APS SURVIE DE L’ENFANT : UN PLAN DE COMMUNICATION EN COURS D’ÉLABORATION POUR BOOSTER LES INDICATEURS APS MAME FAMEW CAMARA : ’’IL FAUT FAIRE DE LA LECTURE UNE DISTRACTION’’ APS LES TRAVAUX DU PARC DES TECHNOLOGIES NUMÉRIQUES « À UN NIVEAU SATISFAISANT » (COMMUNIQUÉ) GNA Speaker inaugurates Parliamentary Friendship Associations Management Committee GNA COVID-19: Dodowa Health Research Center engages stakeholders on trial of Sputnik Light vaccine GNA More than 65,000 merchants enrolled on the GhQR platform GNA Entrance University Hospital organizes health screening GNA Ghana-Togo Maritime Boundary Negotiations Meeting underway in Accra

Maio: Navio Thames realiza teste de dragagem de areia salvaguardando a protecção ambiental – DNA


  6 Mai      4        Environment (2551),

   

Porto Inglês, 06 Mai (Inforpress) – A Direcção Nacional do Ambiente (DNA) esclareceu hoje que o navio Thames foi autorizado a fazer teste dos equipamentos de dragagem de areia na ilha do Maio, salvaguardando todos os requisitos da protecção ambiental.

Em comunicado, a DNA lembra que nos últimos tempos tem havido uma dinâmica da construção em Cabo Verde, o que tem contribuído para a escassez de inertes como areia, situação que obrigou a procura de soluções para colmatar este problema, que passa pela dragagem.

Esclarece ainda aquela instituição, que os portos do País também tem deparado com problemas de assoreamento, algo que só vai ser possível ultrapassar com a dragagem de arreia, recorrendo a navios do tipo, de forma a permitir um normal tráfego, nas infra-estruturas portuárias.

Esta medida visa, por um lado, controlar a exploração “espontânea e descontrolada”, evitando assim os desequilíbrios ambientais, razão pela qual o Governo autorizou o Ministério da Economia Marítima a licenciar a dragagem de areia nos portos e nos bancos de areia.

Os testes vêm ocorrendo desde finais de Abril, a cerca de duas milhas da costa, utilizando um sistema de drenagem com tecnologias de prevenção de sucção de fauna marítima, informa a DNA, ressalvando que “este sistema tem penetração até um metro, fazendo ali a sucção” e que “durante o período do teste toda areia foi de novo devolvida ao mar”.

As dragagens, de acordo com a DNA, serão feitas nos portos e nos bancos de areia previamente definidas em zonas de corrente que circulam da costa para o oceano, ou seja, em sentido oposto à costa, salvaguardando todas as medidas de minimização de impacto ambiental.

Dans la même catégorie