APS Le maire de Jacqueville offre l’émission « Bonjour 2022 » à sa population AIP Quelque 2000 kits scolaires à des écoliers à Biankouma APS DES ORGANISATIONS DE LA SOCIÉTÉ CIVILE SALUENT LE « DÉROULEMENT APAISÉ » DU SCRUTIN AGP Dubreka-Justice : Rencontre avec les officiers de la police judiciaire APS SAINT-LOUIS : MANSOUR FAYE ET ABBA MBAYE SE DÉTACHENT APS LOUGA : LE SCRUTIN PROLONGÉ DANS PLUSIEURS CENTRES DE VOTE AIP Bilan approuvé des 10 années d’exercice de l’ONG Charité Vie à San Pedro AIP Aboisso, capitale du rire pour quelques heures avec Bonjour 2022 MAP Le variant Omicron pourrait rapprocher la fin de la pandémie en Europe (OMS) MAP Football : L’Afrique du Sud affrontera la France en mars dans un match amical (Entraineur)

Madem G15 nunca recusou o debate sobre situação sócio-política do país”, diz Nelson Moreira


  26 Novembre      8        Politics (17833),

   

Bissau,26 Nov 21(ANG) – O vice-líder da Bancada Parlamentar do Movimento para Alternância Democrática(Madem G15), refutou as informações postas a circular de que esta formação política não está interessada num debate, no parlamento, sobre a situação sócio-política do país.

“Como sabem, na presente sessão da ANP foram agendados 24 pontos para serem debatidos dentre os quais o debate sobre a situação sócio-política do país”, referiu Nelson Moreira em conferência de imprensa realizada hoje com o objectivo de esclarecer o que Morera diz ser equívocos da presente sessão da ANP.

O deputado do Madem G15 defendeu que a sua bancada não concordou com a realização do debate sobre a situação sócio-política do país porque a mesa da ANP não apresentou à plenária o texto de requerimento desse debate.

Acrescentou que na Conferência de líderes da bancada, os representantes do Madem G-15 já haviam perguntado quem requereu o referido debate e receberam a resposta de que era a Mesa da ANP, que no entanto não foi capaz de apresentar o solicitado requerimento.

“Por isso a nossa bancada entendeu que, se não há documentos não podem entrar no debate sobre a situação socio-político do país”, disse Nelson Moreira que sustenta que “o Madem pediu o referido requerimento, de forma a permitir aos deputados se familiarizarem com o mesmo”.

O dirigente do Madem G-15 referiu-se às divergências verificadas sobre a mesma matéria entre as bancadas do seu partido e do PAIGC.

“Se estão a alegar que existem problemas na saúde, educação, justiça entre outros, é verdade que os deputados devem os debater, mas isso deve acontecer na presença dos membros do executivo responsáveis das referidas áreas”, disse.

Nelson Moreira criticou que a bancada do PAIGC não quer a presença dos membros do Governo na plenária da ANP “porque não os reconhece” e por isso, “está a fugir do artigo 144 do regimento da ANP e o Madem G15, por sua vez, disse que não vai entrar nessa via”.

Em relação ao diploma sobre Combatentes da Liberdade da Pátria, aquele deputado disse que a bancada do Madem G-15 aceitou a fixação das suas pensões mensais no valor mínimo de 150 mil francos CFA.

“Aceitamos debater essa situação mas, na condição de realização de uma Conferência Nacional, onde serão definidos os seus direitos e deveres, bem como saber quem são os verdadeiros Combatentes da Liberdade da Pátria, frisou.

Sobre a situação da Inspecção Superior de Luta contra a Corrupção, o vice líder da bancada parlamentar do Madem G-15, diz u que defenderam a extinção dessa instituição, tendo em conta que, desde 2014 para cá esta instituição não chegou de acusar nenhum processo de corrupção, não obstante estar a receber, anualmente, 130 milhões de francos CFA.

No que toca com o projecto de Revisão da Constituição da República, referiu que a Bancada do Madem G15 sugeriu que a sua discussão seja adiada para a próxima sessão da ANP, a ser realizada em Fevereiro de 2022, de forma a permitir os deputados melhor SE familiarizarem com as propostas nela contidas.

Dans la même catégorie