AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Les services des eaux et forêts en campagne contre les feux de brousse dans le Poro AIP Côte d’Ivoire-AIP/Inter/ Football: Le Maroc abritera la CAN féminine 2022 AGP Guinée-Politique : Démission officielle du Gouvernement de Dr Ibrahima Kassory Fofana ANGOP MUNDIAL|ANDEBOL: ANGOLA PERDE DIANTE DO QATAR NA ESTREIA GNA Speaker Bagbin condemns unruly parliamentary behaviour APS SÉDHIOU : 42 KILOS DE CHANVRE INDIEN SAISIS À BALMADOU (POLICE) GNA WACCE to empower women against violent extremism GNA NGO supports flood victims in the Upper East Region GNA FDA declares zero tolerance for unregistered products GNA High Court remands man who stabs 19-year-old to death

Inacep/Presidente do sindicato de base dos trabalhadores diz que só suspendem a greve se suas exigências forem satisfeitas


  7 Janvier      24        Politique (14215),

   

Bissau, 07 Jan 21(ANG) – O Presidente de Sindicato de base dos trabalhadores da empresa INACEP disse esta quinta-feira que só vão levantar a greve quando as exigências inscritas no caderno reivindicativo forem satisfeitas.

Walter Mendonça que falava aos jornalistas sobre o impacto do primeiro dia da paralisação de 15 dias iniciada hoje, disse que não vão permitir serem enganados como da outra vez, em que assinaram o memorando de entendimento mas o patronato não cumpriu os seus compromissos.
Mendonça disse que o sindicato está disposto a negociar por isso estão já a negociar com a Secretaria de Estado da Comunicação Social, mas que isso não significa que vão levantar a greve “porque ainda não há entendimento entre as partes”.

Revelou que durante a negociação, o Secretário de Estado de Comunicação Social lhe pediram para entregar propostas para poderem negociar melhor.

Disse que o sindicato não só está a exigir pagamento de salários em atraso, como também a melhoria de condições de trabalho, de produção e do controlo das receitas.

Mendonça sustentou que a INACEP produz passaporte guineense, o que lhe permite angariar o que diz ser “boa receita” para os cofres do Estado.

Afirmou que mensalmente a produção de passaportes rende mensalmente, no mínimo, oito milhões de fcfa.

Questionado sobre o balanço da greve considerou de positivo porque “nenhum departamento da gráfica está a funcionar”.

Walter Mendonça afirmou que o patronato conformou-se com a greve , porque não pediu o “serviço mínimo”.

Dans la même catégorie