AIP La communauté artistique de Côte d’Ivoire rend hommage à Gon Coulibaly AIP Côte d’Ivoire-AIP/ COVID-19 : Une société minière offre une 3ème tranche de dons aux populations de Hiré AIP Cote d’Ivoire-AIP/ COVID-19: 49 nouveaux cas et 269 guéris le 11 août 2020 (Ministère) GNA COVID-19: UNFPA donates to reduce risks of frontline health workers GNA First degree is a minimum qualification for teaching at Basic Schools-Minister GNA Family inability to pay for education shouldn’t deny child’s access-Minister GNA First Lady supports Ga Mashie Homowo festival GNA GNAT calls on Ghanaians to preserve nation’s peace GNA COVID-19 and Koku the undertaker GNA President cuts for redevelopment of La General Hospital

Ulisses Correia e Silva quer MpD “forte e confiante” para vencer o próximo ciclo eleitoral


  6 Mars      5        Société (21624),

   

Cidade da Praia, 06 Mar (Inforpress) – O presidente do MpD considerou hoje que o ciclo político que se avizinha vai ser exigente e, para tal, é preciso “um partido forte e confiante” para “vencer e continuar a construir Cabo Verde melhor”.

Durante a apresentação da moção estratégia de orientação política geral, na manhã de hoje, no quadro da XII convenção do partido que sustenta o Governo, Ulisses Correia e Silva salientou que MpD “forte e confiante” é, sobretudo, um MpD que “transmite a confiança”.

“A confiança é tudo em política, é mais do que crença é fazer com as pessoas de facto tenham a capacidade, vontade de fazer as coisas acontecerem. Confiança gera confiança e nós temos que ser um partido em que os cabo-verdianos mais confiam – isto é que faz a diferença”, disse.

O líder do Movimento para a Democracia (MpD. poder) salientou que o compromisso da convenção é reforçar a acção política de proximidade com os militantes, salientado que há espaço para o partido para crescer, melhorar e desenvolver mais.

“Motivar, fazer, crescer e fidelizar. É um papel importante das comissões políticas concelhias, que são as estruturas mais próximas dos militantes e vamos ter que fazer todo um trabalho adicional”, disse, realçando a necessidade de as comissões políticas concelhias ganharem a liderança local.

“Temos de reforçar acção política junto da sociedade”, disse salientando é preciso abrir mais o partido á participação, visibilidade, compromisso e com a juventude e com a mulher, reforçar a aposta na JpD e impulsionar o seu crescimento e desenvolvimento.

Ulisses Correia e Silva reafirmou os compromissos assumidos no programa do Governo em 2016, e sublinhou que desde o início, e tendo a consciência de que o País precisa de transformações e de alterações de curso, o partido engajou-se com 2026.

“Quando dissemos que temos de fazer o pais crescer 7% média anual é na perspectiva que queremos aumentar, duplicar o rendimento das famílias cabo-verdianos até 2026. 7% ao ano não é uma meta em si própria, a meta  de chegada é duplicar o rendimento  dos cabo-verdianos. E isso representa ir ao encontro do desenvolvimento sustentável”, disse.

O objectivo, sustentou, é tornar o País mais resiliente, quer do ponto de vista económico, como do ponto de vista ambiental, sanitário e a nível securitário.

“São programas para a década”, disse, adiantando que os resultados estão a acontecer fruto de opções políticas e de reformas.

“Saímos da estagnação económica e o país cresce hoje cinco vezes mais. Temos redução de desemprego, não ainda no nível que nós queremos, mas é preciso saber e estar consciente como é que tudo isto está ser conseguido” disse, apontando para contextos “extremamente difíceis” como elevado endividamento e a seca severa afectou o país por três anos consecutivos.

Ademais, acrescentou que as políticas sociais e económicas estão a ter impactos, estando o País a reforçar a boa governança e a descentralização, com mais investimento no desenvolvimento local.

“Reforçamos as prioridades no emprego, na saúde e na segurança. Estamos a cumprir”, disse.

A XII convenção do MpD, cuja abertura oficial está marcada para às 18:00 de hoje, deverá culminar a reunião da Direcção Nacional para votação do Presidente da Comissão Política Nacional e do secretário-geral sobre a proposta do presidente.

Para já Ulisses Correia e Silva anunciou que o cargo de secretário-geral, até agora ocupado pelo deputado Miguel Monteiro, vai ser assumido por uma mulher que passará a ser coadjuvada por seis secretários-adjuntos.

MJB/AA

Inforpress/Fim

Dans la même catégorie