APS LA FIFA SE FÉLICITE DE ‘’LA NOUVELLE DIRECTION D’AVENIR’’ DE LA CAF AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Législatives 2021: Mariame Traoré dame le pion à ses trois concurrents pour une 3e mandature AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Journée internationale de la femme 2021: un atelier sur le droits et devoirs des Femmes AIP Côte d’Ivoire- AIP/ Législatives 2021: Moussa Sanogo remercie les populations après sa victoire à Touba Inforpress Electricista Analina Varela vive o seu sonho sem imposições e indiferente a estereótipos Inforpress Santo Antão: Reabilitação do cine-teatro da cidade das Pombas é uma frustração, diz Abraão Vicente Inforpress Basket 3×3: “Street Prédio” vence Kokylandia na final Inforpress Artista plástico Hélder Cardoso leva exposição “Ser bu Maior Motivação” ao espaço WareHouse AMI Le Président de la République félicite la femme mauritanienne à l’occasion de la fête du 8 mars GNA COVID-19: CAMFED’s Parent Support Groups receive lifeline support

Covid-19/China envia 10 milhões de doses da vacina a países em desenvolvimento


  4 Février      17        Santé (9593),

   

Bissau, 04 Fev 21 (ANG) – A China anunciou quarta-feira um plano para fornecer 10 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus aos países em desenvolvimento, através da iniciativa Covax.

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Wang Wenbin, afirmou que a China está a responder a um pedido da Organização Mundial da Saúde (OMS), enquanto os países em desenvolvimento procuram suprir a escassez de vacinas.
Wang considerou que a iniciativa constitui uma “importante decisão política” da China, para garantir a distribuição equitativa de vacinas e promover a cooperação internacional nos esforços contra a pandemia.

A Covax, programa coordenado pela OMS e pela Aliança Global para as Vacinas (GAVI, na sigla em inglês), visa garantir que os países de baixo e médio rendimento tenham vacinas contra o coronavírus suficientes, já que as nações ricas absorveram a totalidade dos primeiras milhões de doses produzidas.

“Esperamos que os países da comunidade internacional com capacidade entrem em acção, apoiem a Covax por meio de acções práticas, apoiem o trabalho da Organização Mundial da Saúde, ajudem os países em desenvolvimento na obtenção de vacinas em tempo útil e contribuam para a sociedade internacional vencer a pandemia o mais cedo possível”, afirmou Wang, em conferência de imprensa.

A China já exportou grandes quantidades de vacinas desenvolvidas internamente para os países em desenvolvimento e a OMS está em processo de aprovação de vacinas chinesas para uso de emergência.

Isto é visto como uma tentativa de aumentar a reputação da China, face a preocupações sobre a sua crescente influência militar e económica além-fronteiras.

A China também quer evitar críticas sobre a forma como lidou com os estágios iniciais do surto de covid-19, inicialmente detectado na cidade de Wuhan, no centro do país, no final de 2019.

Uma equipa de especialistas da OMS está actualmente em Wuhan para recolher dados e pistas que possam servir para encontrar as origens do vírus.

O Governo chinês promoveu teorias de que o surto pode ter começado com a importação de frutos do mar congelados contaminados com o vírus, uma ideia totalmente rejeitada por cientistas e agências internacionais.

Embora as vacinas chinesas sejam consideradas uma alternativa mais barata e possivelmente mais abundante, farmacêuticas internacionais também estão a fornecer vacinas através da Covax.

A norte-americana Pfizer comprometeu-se, no mês passado, a disponibilizar até 40 milhões de doses da sua vacina este ano.

Dans la même catégorie