ANGOP Angola perde na estreia da Cosafa APS ORGANISATION ET NOUVELLES ORIENTATIONS DE LA SN-APS, AU MENU D’UN ATELIER À SALY APS UN ÉLU LOCAL VANTE LES AVANTAGES DE LA COOPÉRATION DÉCENTRALISÉE DANS LA CAPTATION DE RESSOURCES APS LE BOS DU PSE SATISFAIT DU DÉROULEMENT DES TRAVAUX DE L’AGROPOLE-CENTRE APS AFROBASKET U18 : VICTOIRE DU SÉNÉGAL SUR LE MALI (80-78) ANGOP Covid-19: Angola reporta 132 novos casos e 55 recuperados GNA Volta EC prepares venue to host regional collation centre ANP Niger: Le gouvernement fixe les modalités de calcul et de recouvrement des redevances de l’ARST ANP Niger : Démission des membres du Gouvernement et de certaines personnalités candidats aux élections législatives du 27 décembre prochain GNA Volta EC prepares venue to host regional collation centre

Justiça/Procuradoria Geral da República considera de “desonesta” comunicado do Presidente do Tribunal de Relação


  19 Octobre      16        Société (25584),

   

Bissau, 19 Out 20 (ANG) – A Procuradoria Geral da República considerou de “desonesta” o comunicado do desembargador Presidente de Tribunal de Relação através do qual nega a existência de qualquer processo no tribunal contra o ex primeiro-ministro Aristides Gomes.
A informação consta numa nota à imprensa do Gabinete do Procurador Geral da República feita em jeito de reação ao comunicado do Presidente de Tribunal de Relação divulgada recentemente.
A Procuradoria Geral da República diz que em relação ao “caso que se discute por via de Comunicação Social”, há dois processos a tramitar nos serviços
do Ministério Público por instruções de Procurador Geral nos quais figura como suspeito, o ex primeiro-ministro, Aristides Gomes.

Por outro lado, alega que a luta contra a corrupção é hoje uma realidade na Guiné-Bissau e que assim sendo, é normal compreender o desejo de alguns em empreender o assassinato de caracter de todo aquele que não se vergue perante este mal e, principalmente, contra o magistrado de reputação intelectual ilibada.

Segundo a nota, a Procuradoria Geral da República já instruiu o seu serviço competente para a abertura de um inquérito para o apuramento da violação do segredo da justiça resultante da publicação e citação do conteúdo de uma peça processual de inquérito em curso.

Em comunicado, o Tribunal de Relação fez saber que nenhum processo-crime contra o cidadão Aristides Gomes deu entrada na Câmara Criminal deste tribunal, muito menos um tal despacho que aplicou medidas de coação contra o ex-primeiro-ministro.

Dans la même catégorie