GNA NPP delayed Bolga-Bawku-Pulimakom road construction GNA Ghana to host 2021 West Africa Conference on CelebrateLAB GNA Aburihene confers ‘maawerehene’ title on President Akufo-Addo GNA Dr Kingsley Nyarko donates street lights to Kwadaso Municipal Assembly AGP Tournoi UFOA U20 : La Guinée domine la Mauritanie (1-0). AGP Nzérékoré/Insécurité : Cinq bandits présentés aux autorités préfectorales AGP Nzérékoré/Covid-19 : 21 enseignants formés en technique de communication et d’engagement communautaire AGP Guinée/Santé : La prévalence nationale des MGF est de 95% selon l’enquête démographique de Santé Publique de 2018 AGP Guinée/Covid19 : ‘’Des Covid-héros’’ récompensés  par l’Agence More & More APS GESTION DES DÉCHETS : UNE CAMPAGNE POUR UN CHANGEMENT DE COMPORTEMENT LANCÉ À TIVAOUANE

Pecuária/Director Geral de veterinária considera de positiva a campanha de vacinação contra raiva


  30 Octobre      13        Société (25115),

   

Bissau, 30 Out 20 (ANG) – O Director Geral de Serviços Veterinários considerou de positiva a campanha de vacinação dos animais contra a raiva efectuada entre 29 de Setembro e 19 de Outubro.
Bernardo Cassamá que falava em entrevista exclusiva à ANG, disse que tinham disponíveis pouco mais de cinco mil vacinas anti-rábica.

« Só em Bissau conseguimos vacinar 3.388 animais, dos quais 3765 cães nos seus diversos géneros, 24 gatos, 49 macacos. No interior vacinámos 1360 animais », revelou o director-geral de Veterinária.

Disse que o governo, através de Ministério de Agricultura está a fazer de tudo para conseguir a parte da vacina que resta para poder completar os dias previstos em falta.

Em relação a adesão à campanha ppor parte dos donos dos animais, Cassamá destacou o bairro de Antula de onde se vacinou 352 animais , Missira 276 animais, Luanda -199 e Empantcha, 175 .

« A vacinação não foi feita como nos anos anteriores em que deslocávamos brigadas para irem em diferentes bairros, porta à porta, por causa da condição sanitária da pandemia de coronavírus, e por outro lado, por não sabemos qual é situação de saúde das pessoas em suas casas neste tempo de covid-19 », frisou Cassamá.

Segundo Bernado Cassamá, a raiva é uma doença que não tem cura e que 99 por cento das pessoas infectadas pela doença acabam por morrer, tanto animais assim como pessoas.

“Por isso é que se diz que a campanha visa o controlo e não erradicação da raiva”, sublinhou.

Acrescentou que em África a prioridade é no sentido de implementação de acções mais de controlo do que de erradicação.

Aquele responsável disse ser necessário um apoio do Governo para elaboração dum Plano Estratégico de luta contra Raiva que deve passar pelo controlo sensibilização e formação dos actores que intervêm na execução desse plano.

De acordo com Cassamá foi lançado um Plano Estratégico mundial denominado “Zero caso até 2023”, para erradicação da raiva nas pessoas.

Instado a fazer comparação sobre a campanha da vacinação nos anos anteriores com o deste ano, disse que nos primeiros anos a campanha teve maior adesão porque foram vacinados nessa altura 12 mil animais.

Bernardo Cassamá assegurou que para lutar contra raiva nas pessoas é preciso saber o números de animais existentes no país, pelo que é necessário fazer um recenseamento nesse sentido.

Revelou que o Ministério de Agricultura com a apoio do Fundo das Nações Unidades para Agricultura e Alimentação(FAO) está a preparar um recenseamento de animais de estimação em todo o país.

Dans la même catégorie