MAP A l’ONU, un plaidoyer pour la coopération et la solidarité face à la pandémie MAP Réunion à Tanger autour de l’impact du coronavirus sur l’artisanat MAP Laâyoune, Benguerir et Chefchaouen rejoignent l’UNESCO MAP Casablanca: L’employabilité des jeunes au cœur d’une convention TIBU/Lydec GNA Mahama suspends campaign over voters’ register GNA YEA saves GHc82.5 million from « ghost names » detection GNA Let’s show appreciation by voting to retain President Akufo-Addo – Katakyie ACI CONGO : 607 APPRENANTS FORMES EN ENERGIE SOLAIRE PHOTOVOLTAÏQUE APS DÉCÈS DU COLONEL FALLOU WADE, ANCIEN DE LA MUSIQUE PRINCIPALE DES FORCES ARMÉES SÉNÉGALAISES APS NIORO : LA SUBVENTION AUX ASC SERA ORIENTÉE VERS DES ACTIVITÉS ALTERNATIVES

PR reitera apelo ao cumprimento das medidas de prevenção


  18 Juillet      6        Société (22951),

   

Luanda, 18 de Julho (ANGOP) – O Presidente da República, João Lourenço, reiterou sexta-feira, 17, em Luanda, o apelo ao incremento e à observância das medidas de prevenção contra a Covid-19, a fim de conter a propagação do vírus pelo país.

Em mensagem dirigida à Nação, o estadista angolano exorta os angolanos a manterem o distanciamento entre as pessoas, evitar as concentrações e os afectos com contacto físico,  lavar as mãos com água e sabão ou com álcool em gel e usar correctamente a máscara facial.

Sublinha que “prevenir-nos significa partirmos do princípio de que, até prova em contrário, nós próprios somos um potencial infectado que pode contaminar outros, por um lado, mas, por outro lado, e também até prova em contrário, todos os que nos rodeiam são potenciais infectados e, portanto, podem nos contaminar”.

Adverte que esta triste realidade, que pode bater à porta a qualquer país, confirma que a humanidade só ficará salva desta pandemia quando se descobrir uma vacina segura e de distribuição à escala planetária.

Reforça que a salvação individual e colectiva está na auto-disciplina e na prevenção, ressaltando a necessidade de se ter consciência de que não é o investimento em unidades hospitalares, em meios de tratamento e em pessoal médico especializado que vai salvar a população, a julgar pelo que se observa nos países industrializados e mais desenvolvidos do mundo.

O Presidente João Lourenço alerta que mesmo tendo inúmeros recursos financeiros, os mais modernos centros de investigação científica, a mais desenvolvida indústria farmacêutica e outras valências, esses países, lamentavelmente, têm um número crescente de infectados e de mortos bastante grande.

Lembra que desde que se tornaram públicos os primeiros casos de Covid-19 no mundo, no início deste ano, Angola mobilizou-se e tomou as medidas que na altura se julgavam as mais adequadas para fazer frente à pandemia.

Angola regista, até agora, 638 casos positivos de Covid-19, 29 mortes, 199 recuperados e 410 activos.

Dans la même catégorie