Inforpress Santo Antão: Projecto “Contribuir para criação do emprego digno às mulheres” contempla 100 mulheres Inforpress CPLP: Ministros debatem temática da biodiversidade e desafios das alterações climáticas no espaço lusófono ACP L’ONU Femmes lance la campagne «16jours d’activisme» en RDC GNA Ghana identifies Pfizer and Modena COVID-19 vaccines for deployment GNA Teshie Tafo engulf with filth, pleas with government for help GNA MTN Ghana Foundation commissions library project at Ebenezer SHS Inforpress VII Fórum “Pensar Safende” debate novas perspectivas e desafios do bairro Safende Inforpress Porto Novo: Associação de pescadores mobiliza cerca de mil contos para montagem de loja de materiais de pesca Inforpress Propriedade Intelectual: IGQPI quer adoptar o País de um sistema “robusto e adequado” APS CAF : MACKY SALL APPORTE SON ONCTION À LA CANDIDATURE DE AUGUSTIN SENGHOR

Presidente do SIACSA garante que conseguiram resolver as pendências dos vigilantes privados


  22 Octobre      22        Société (25193),

   

Praia, 22 Out (Inforpress) – O presidente do Sindicato de Indústria Geral, Alimentação, Construção Civil, Serviços, Agricultura e Afins (SIACSA), disse, que finalmente conseguiram resolver as pendências dos vigilantes privados a nível nacional.
Gilberto Lima, que falava esta quarta-feira em uma conferência de imprensa na Cidade da Praia, realçou que este resultado alcançado foi graças a um “grande esforço” coletivo dos Sindicatos, vigilantes e com a “mãozinha” do vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia.
“Nós conseguimos dar entrada o Preço Indicativo de Referência (PIR) em vigor, fizemos a alteração do Acordo Colectivo de Trabalho (ACT) e também conseguimos pôr a funcionar a portaria de extensão que irá abranger todas as empresas de segurança privada”, revelou.
Segundo o sindicalista, “tudo isto” vai ser publicado na próxima semana, mas o Preço Indicativo de Referência (PIR), vai entrar em “acção” no dia 01 de Maio de 2021, visto que os contratos existentes entre as empresas e as instituições da segurança privada terminam em tempo diferentes.
“As empresas têm de receber para poder pagar, pois, não foi uma negociação ideal dado o tempo em que os vigilantes estão à espera, mas o importante é que começamos a fazer algo, já temos esta parte assinada e agora é só aguardar para a sua implementação efectiva”, explicou.
“Esta luta não é dos sindicatos, mas sim dos vigilantes e os sindicatos apenas apoiam, por isso não há protagonismo nesta luta”, lembrou ainda.
Na mesma conferência de imprensa, Gilberto Lima pediu à ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Lopes, a demissão do Conselho de Administração do Laboratório de Engenharia Civil (LEC), em nome dos trabalhadores.
Segundo disse, os trabalhadores estão numa situação que considera de “anormalidade”, existe “mal-estar” no seio dos funcionários, explicando que tudo isso é por causa do acórdão do Supremo Tribunal de Justiça dando a razão aos funcionários.
“Fizemos vários encontros com a LEC e os seus advogados, apresentaram algumas listas para adaptar ao Acórdão do Supremo, mas quando houve algumas resistências dos trabalhadores, visto que nem todos estavam contemplados, fizeram uma retificação e apresentaram um `plano b´ com um ajustamento favorável para os trabalhadores, mas nunca enviaram o documento à ministra das Infraestruturas”, explicou.
Conforme o responsável, a administração do LEC não quer resolver os problemas dos funcionários, salientando ainda que a SIACSA já insistiu bastante para que o documento saia do papel e seja uma “realidade nos bolsos dos funcionários”.
Em relação à greve anunciada dos funcionários do saneamento da Câmara Municipal Praia (CMP), o responsável disse que foi suspensa temporariamente, visto que nesse momento a câmara não tem nenhum responsável com poder de decisão, por isso o SIACSA acha que não vale a pena os trabalhadores perderem dias de trabalho sem qualquer resultado prático, mas afirma que a greve será no dia 26 de Outubro.

Dans la même catégorie