APS LES POPULATIONS INVITÉES À S’APPROPRIER SEN’EAU, « UN PATRIMOINE À 55 POUR CENT SÉNÉGALAIS’’ APS MÉDINA BAYE VA CÉLÉBRER LE MAOULOUD DANS LE RESPECT DES GESTES BARRIÈRES (PORTE-PAROLE) APS LE CONSEIL SUPÉRIEUR DE LA MAGISTRATURE SAISI DU RAPPORT DE L’IGAJ SUR TÉLIKO APS REPLI DE 2, 5 % DU PIB AU 2E TRIMESTRE (ANSD) APS LES DÉCHETS PLASTIQUES, UNE « MENACE GRAVE » POUR LA PLANÈTE ET LES OCÉANS (PRÉSIDENT CAOPA) APS VERS UN UN GROUPE DE TRAVAIL PLURIDISCIPLINAIRE DU PROJET « DUNDËL SUUF’’ À SÉDHIOU APS LA BAD INTÈGRE LE CONSEIL D’ADMINISTRATION DU FORUM MONDIAL SUR L’INVESTISSEMENT (COMMUNIQUÉ) APS GESTION DES ORDURES : LES PRN, UN PARI CONTRE LES ’’DÉPÔTS SAUVAGES’’ MAP Fièvre de la vallée du Rift en Mauritanie: trois morts MAP UEMOA : la croissance prévue à 1,3% en 2020

Agrícultura/Director-geral espera que 2020 seja “bom ano agrícola” no país


  23 Juillet      14        Agriculture (1521),

   

Bissau, 23 Jul 20 (ANG) – O Director-geral da Agricultura disse esperar que o ano 2020 seja um bom ano agrícola na Guiné-Bissau, visto que “foram criadas as condições para o efeito.

Júlio Malam Injai, em entrevista à Rádio Jovem disse que o Governo já disponibilizou mais de 60 tractores para todo o território nacional facto que, na sua opinião, vai aumentar a produção para este ano.

“Estes tractores já estão a cultivar em várias localidades do país. Contudo ainda os consideramos poucos para satisfazer todas as necessidades dos agricultores tendo em conta que estão a precisar de, no mínimo, de 300 tractores”, referiu.

Injai frisou que por isso a sua instituição almeja ter para o próximo ano agrícola pelo menos 300 tractores para satisfazer as necessidades que têm em termos de agricultura mecanizada.

O DG da Agricultura salientou este ano,tendo em conta a forma como tem chovido, com apoios dados aos agricultores, e que se mais chuva houver até ao fim, o país vai ter uma boa campanha agrícola.

.Júlio Injai disse que o país importa actualmente quase todos os produtos alimentícios, sublinhando que, tendo o arroz como base da dieta alimentar da população, devem ser criados os mecanismos para se inverter essa situação para se produzir internamente quantias suficientes, de forma a diminuir a importação de cereais.

“Devemos lutar para sermos auto-suficientes e deixar de trazer arroz da Índia ou Vietnam. Temos condições climáticas, é questão de investimento em capitais para poder produzir em grande quantidade e podermos exportar também para outros países”,vincou.

O Governo e os parceiros da área da agricultura abriram o ano agrícola no país em Maio, mas os camponeses queixam-se de dificuldades relacionadas ao combate da pandemia da Covid-19.

Dans la même catégorie