LINA ‘Grow What You Eat, Eat What You Grow’ – Pres. Weah Tells Liberians LINA SONA: Pres. Weah Moots Non-Partisan Approach On Bills Vital To Nat’l Growth LINA Amidst Challenges: Liberia’s Economy ‘Fundamentally Strong’ – Weah LINA Pres. Weah Appreciates UN For 75 Years Of Partnership LINA Pres. Weah Lauds Int’l Bodies For Effective Response To COVID-19 LINA Sixty Percent Of 15Counties To Receive Stimulus Package By March 2021 LINA Pres. Weah Envisions More Infrastructural Development GNA WHO official warns of continued transmission of coronavirus even after wide vaccinations GNA Ethiopia to form self-defense militia force to stem communal violence GNA U.S. Supreme Court chief justice not to preside over Trump’s impeachment trial

Bancada Parlamentar de PAIGC promete mover queixa contra mesa da ANP


  2 Décembre      18        Politique (14399),

   

Bissau, 02 Dez 20 (ANG) – A Bancada Parlamentar de Partido Africano da Independência de Guiné e Cabo Verde (PAIGC), prometeu hoje mover uma queixa judicial contra a Mesa da Assembleia Nacional Popular, por permitir a exclusão da agenda da ordem do dia o ponto referente ao preenchimento do lugar de 1º vice-presidente da ANP, anteriormente ocupado pelo actual Primeiro-ministro, Nuno Nabian.

Devido à divergências sobre esse ponto, em dois dias de discussões, o presidente da ANP, Cipriano Cassamá decidiu submeter a questão
a votação. A maioria dos deputados votou a favor a exclusão desse ponto de discórdia na agenda de trabalho.
O lugar pertence ao PAIGC, partido mais votado nas legislativas de Março de 2019, e o partido queria seja ocupado pelo deputado Armando Mango. A função de 1º vice do parlamento havia sido atribuída ao agora Primeiro-ministro no quadro de uma coligação que entretanto se terminou, por decisão unilateral de Nuno Gomes Nabian.

Mango pertence ao partido de Nabian mas matem-se fiel ao acordo de coligação assinado com o PAIGC.

Votaram a favor, os 54 deputados dos partidos Madem G-15, PRS, e cinco deputados do PAIGC, e os do PAIGC e mais quatro deputados do APU-PDGB, num total de 47, votaram contra.

A sessão parlamentar prossegue quinta-feira com a discussão para efeitos de aprovação do Acordo de Bangui, relativo a criação de normas que protegem os produtos locais.

Dans la même catégorie