MAP Bulletin quotidien d’informations économiques africaines MAP Bulletin de l’écologie de l’Afrique APS COVID-19 : UNE PRÉVALENCE DE 34 % CHEZ LE PERSONNEL DE SANTÉ (MÉDECIN) AIP Revue de la presse quotidienne internationale africaine (RPQI-Afrique) MAP Le Kenya reçoit son premier lot de vaccin dans le cadre de l’initiative COVAX AIP Le centre d’information et d’orientation visite les élèves du lycée moderne de Bouna AIP Législatives 2021: Jérémie N’gouan candidat pour continuer à servir les populations d’Aboisso AIP Législatives 2021: La plateforme de l’opposition à Niakara soutient la candidature de Guibessongui N’datien AIP Législatives 2021 : La liste « S’unir pour la réconciliation dans le Tonkpi, » ratisse à Man AIP Le candidat RHDP de Dabakala réitère sa volonté de continuer à redonner sa dignité aux populations

Brava: CEFP pretende trazer formações de nível I para beneficiar jovens com escolaridade inferior ao 8º ano


  11 Février      14        Education (4442),

   

Nova Sintra, 11 Fev (Inforpress) – O director do Centro de Emprego e Formação Profissional da região Fogo e Brava (CEFP) disse que pretendem trazer cursos do nível I para a ilha Brava como forma de beneficiar e qualificar jovens que não completaram o 8º ano.
Em declarações à Inforpress,esta quarta-feira, António Cardoso avançou que já possuem em agenda duas opções de formações, nomeadamente “Pintura de construção civil” e a “Carpintaria”.
Segundo a mesma fonte, o intuito é “atender as necessidades específicas da ilha, sobretudo para um segmento da população que não completou o 8º ano e que ficam sem a possibilidade de fazer uma formação de nível mais alto”.
Em relação à carpintaria, este responsável sublinhou que na Brava, há algo nesta área de “tradição muito forte” que querem resgatar.
“Queremos resgatar os mestres artesãos construtores de barcos, porque a Brava já foi uma ilha referência no Atlântico de construção e reparação naval”, disse António Cardoso.
Realçou que esta potencialidade ainda se encontra na Brava, só que adormecida. E antes que os mestres construtores desapareçam fisicamente, pretendem aproveitar estes conhecimentos e aproveitá-los para fazer a construção de barcos e botes nas “dimensões certas”, que não entram em conflitos com a lei.
“Pensamos construir botes com mais de 6 metros, equipados com equipamentos de segurança, de localização e com equipamentos de salva-vidas para que os pescadores e todos aqueles que ganham o seu dia-a-dia no mar possam fazê-lo com a segurança garantida”, enfatizou.
Para este responsável, esta é uma forma que o CEFP encontrou juntamente com parceiros locais na Brava para permitir que a ilha tenha um certo patamar de desenvolvimento, à semelhança de outras ilhas e municípios.

Dans la même catégorie