GNA Minister urges residents to comply with lockdown directives GNA COVID-19: UBA Ghana supports COVID-19 fight with 350,000 dollars GNA COVID-19: Advans Ghana announces grace period for loan clients GNA Restrictions on movements to contain Covid-19 take effect GNA Eight Nigeriens; two Burkinabes in quarantine test positive to new coronavirus APS COVID-19 : DEUX CAS GRAVES SIGNALÉS PAR LES AUTORITÉS SANITAIRES MAP Revue de la presse quotidienne internationale africaine (RPQI-Afrique) MAP Bulletin quotidien d’informations économiques africaines MAP Bulletin de l’écologie de l’Afrique LINA IOM Donates Sanitary Materials To Partners Amid Coronavirus Advent

Grupo Santy Comercial vai reconstruir a Cicer


  8 Novembre      164        Economie (8113), Entreprises (243),

   

Bissau,07 Nov 18 (ANG) – O grupo espanhol Santy Comercial vai investir 25 milhões de euros na reconstrução da CICER, única cervejeira da Guiné-Bissau, mas inactiva desde a década de 1990, que adquiriu em 2016, anunciou terça-feira o administrador do grupo, Santiago Hanna.

O grupo espanhol pretende recuperar a CICER, voltar a produzir a própria cerveja, o Djumbai, para os mercados guineenses e de países vizinhos, disse Hanna, que referiu que as obras da recuperação da cervejeira arrancaram na semana passada.

Além da cerveja Djumbai – a única marca guineense – a CICER passará a produzir água, refrigerantes e sumos, afirmou ainda Santiago Hanna.

O administrador da Santy notou igualmente que o seu grupo já investiu na Guiné-Bissau cerca de 160 milhões de euros, nomeadamente na construção do « único hotel verdadeiramente cinco estrelas » (o Ceiba hotel), uma fábrica da transformação da amêndoa do caju, sendo a única certificada para exportar o produto para Europa e Estados Unidos da América.

O grupo, que está na Guiné-Bissau há quatro anos, também possui uma pedreira, assinalou Santiago Hanna, que quer ajudar no desenvolvimento do país africano.

No total, a Santy dá emprego direto a cerca de 600 pessoas, disse.

« O grupo não vai desistir da Guiné-Bissau, porque quer ajudar a desenvolver » o país, disse o administrador, quando procedia ao balanço do primeiro fórum de negócios entre empresários guineenses e espanhóis, organizado entre 01 a 03 deste mês, em Bissau, sob o patrocínio da Santy.

Segundo Santiago Hanna, várias empresas espanholas querem apostar no mercado da Guiné-Bissau, que consideram o « último segredo do Atlântico », nos setores do turismo, energia, indústria, entre outras áreas. ANG/Lusa

Dans la même catégorie