MAP Djibouti : La Fondation Mohammed VI des Ouléma Africains organise un concours de mémorisation et de récitation du Saint Coran MAP Mali: La Fondation Mohammed VI des Ouléma Africains organise un concours de mémorisation et de récitation du Saint Coran APS CHAN 2023 : ‘Madagascar va tout donner pour battre le Sénégal (entraineur) AIP La 2e édition du cross Joseph Tarègue lancée à Bouaké APS L’Etat va tout faire pour éviter un nouvel incendie au marché Ocass de Touba (Antoine Diome) APS Aliou Sow appelle les maires à investir dans le développement culturel APS Les migrantes, héroïnes négligées du développement économique APS Abdou Karim Fofana :  »Le Sénégal est propriétaire de son Train express régional. » APS Les activités de la 7e FIKA officiellement lancées APS Dakar remporte le grand prix Douta Seck du Fesnac

Comunicação social/Sinjotecs pede jornalistas para não se divulgar pormenores que prejudiquem a imagem de crianças vítimas de violência


  29 Septembre      18        Société (40946),

   

Bissau, 29 Set 22 (ANG) – O Sindicato Nacional dos Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social (Sinjotecs) pediu hoje aos profissionais para nunca divulgarem pormenores de notícias que prejudiquem a imagem de crianças ou qualquer outra pessoa vítima de violências.
O pedido do Sinjotecs foi feito através de um comunicado à imprensa no qual a organização da classe jornalística manifesta a sua indignação face ao que diz ser “comportamento inadequado” de um animador matinal da Rádio Pindjiquiti, Aliu Baldé, que, alegadamente, numa das edições, passou a entrevista de uma adolescente que terá sido vítima de violação sexual numa das salas da 2° Esquadra em Bissau, por três prisioneiros, identificando a menina.

“O Sinjotecs comunga do princípio segundo o qual, o jornalismo deve defender o bem comum, denunciar os abusos e atos criminosos. E quando abordam questões relacionadas com crianças, os jornalistas devem ter um sentido ético muito apurado, no sentido de proteger a criança e não potenciar ainda mais o seu papel de vítima”, refere o comunicado.

O Sinjotecs exige ao jornalista Aliu Baldé que apresente um pedido de desculpa pública pelos danos causados à vítima e a indignação social decorrente do referido ato.

“Os jornalistas devem pensar nas consequências e nos prejuízos para a criança depois da publicação da notícia. Evitar atitudes ou comentários que sejam preconceituosos, insensíveis aos valores culturais que coloquem a criança em perigo ou que a ponha em humilhações ou que reacendam a dor ou o desgosto provenientes de acontecimentos traumáticos.

Dans la même catégorie