MAP Beach soccer:  » Mon objectif, c’est de qualifier le Maroc à la Coupe du Monde 2024  » (sélectionneur) MAP Rabat : Cérémonie en l’honneur des pugilistes marocains sacrés au championnat d’Afrique Elite et au championnat arabe Juniors GNA Ghana trains Rwandan FDA on WHO Benchmarking Tool GNA More people queue for power at Legon ECG sub-station GNA Stakeholders laud VRA for sustainable growth, impressive operational performance GNA Ghana grateful to UK for funding research into Non-Communicable Diseases GNA Mental Health Week launched in Tamale GNA Problem-solving based education curriculum is crucial for sustainable national economic growth GNA Africa’s mineral wealth remains key driver of its transformation- Ambassador Muchanga AIP Côte d’Ivoire-AIP/Des jeunes entrepreneurs formés à la digitalisation de leurs activités

MCCI ameaça realizar uma marcha para exigir marcação da data das legislativas


  30 Novembre      41        Politique (20893),

   

Bissau, 30 Nov 18 (ANG) – O Movimento dos Cidadãos Conscientes e Inconformados (MCCI) ameaça realiza,r dentro de duas semanas, uma marcha de protesto, se até lá o chefe de Estado não fixar a data de realização de eleições legislativas.

A ameaça foi feita hoje pelo porta-voz do MCCI Lesmes Monteiro em reacção à declarações proferidas quinta-feira pelo dirigente do PRS, Sola Inquilin Na Bitchita, através das quais, e na voz de Na Bitchita um grupo de partidos da oposião exigiu a demissão da Ministra da Administração Territorial, alegando existência de fraudes no processo de recenseamento eleitoral.

Monteiro sustenta que se regisram um numero de eleitores superior ao número registadas nas eleições de 2014.

Sustenta que sem data marcada o país nunca vai sair do quadro nebuloso em que se encontra.

Referindo as declarações de Sola, o porta voz do Movimento de Cidadões Conscientes e Inconformados considera de « triste » a atitude do dirigente do PRS, que inclusive disse que ele e seus companheiros da oposição vão invadir a Presidência da República se até terça-feira a ministra Ester Fernandes não for demitida.

Lesmes considera que não é permitida dizer publicamente que vai se bater numa pessoa que para além de ser ministra é uma mulher, pelo facto de ela cometer um acto que este dirigente acha que não é legal.

« Isto demostra não só que há políticos que ainda não estão preparados para enfrentar desafios do mundo actual, mas também um aumento do nível de insatisfação, frustração e certo ódio , com recurso à apelos à guerra civil », disse.

Afirmou que isso é resultado de um crise desnecessária, patrocinada pelo Presidente da República com a intenção de controlar o poder e salvar a ditadura, travada pela bravura de jovens, sobretudo do movimento dos cidadãos conscientes e inconformados.

Monteiro disse não compreender se é a eleição é que está em causa ou é o recenseamento e salienta, « se existe irregularidade há instituições onde os contestarios podem apresentar queixas.

 » O incompreensível é que desdeo início do registo eleitoral até hoje fala-se da irregularidade mas os denunciantes nunca apresentaram provas e nem tão pouco entraram com um processo nos tribunais.

Lesmes considerou a intensão de invadir a Presidência da República, prometida até terça-feira próxima, uma clara alusão ao golpe de estado. Exorta aos partidos políticos que participaram no encontro de quinta-feira a usarem as vias legais para resolução dos problemas politicas e não convidando ao povo já cansado e sem escola e saúde para uma guerra civil.

Desafia aos políticos apresentarem projectos políticos para desenvolvimento do país.
Em conferência de imprensa quinta-feira, em Bissau, Sola na Nquilin na Bitchita, na qualidade de porta-voz de partidos da oposição exigiu a demissão da ministra da Admnistração Territorial, alegando haver fraudes no processo de recenseamento eleitoral em curso.

Sola deu ao Presidente da República e ao Primeiro-ministro cinco dias para demitirem Ester Fernandes, caso contrário vão, ele e os colegas da oposição, invadir a Presidência da República, para, segundo disse, « fazer o Presidente Mário Vaz cumprir a lei ».

ANG/DMG/LPG//SG

Dans la même catégorie