GNA One dead, three injured in Volta Region secessionist disturbance AIP Visite d’Etat dans la Marahoué : Plaidoyer pour un appui technique et financier aux femmes du vivrier de Zuénoula AIP Alassane Ouattara invite les jeunes au travail pour consolider la paix AIP Identification: Le DG de l’ONECI à Bouaké pour s’enquérir de la situation de l’opération sur le terrain AIP Le secrétaire d’État chargé du service civique vante les mérites de son département AIP Des blogueuses se forment à la prévention des discours de haine sur les réseaux sociaux AIP La coordination RHDP du Kabadougou lance sa précampagne AIP Deux comités de veille et de prévention des conflits installés à Bondoukou APS DES JEUNES PÉPITES DE LA CAN U17 COMMENCENT À QUITTER LEUR NID APS BAISSE DE PLUS DE 50 % DES NOUVEAUX CAS DE COVID DANS AU MOINS 6 PAYS AFRICAINS

Pescas/Presidente da Associação dos Pescadores Artesanais alerta sobre possível escassez de pescado nos próximos tempos


  28 Juillet      29        Société (23113),

   

Bissau, 28 Jul 20 (ANG) – O presidente da Associação Nacional de Pescadores Artesanais(ANAP) fez esta terça-feira uma alerta sobre as possibilidades de o pescado vier a faltar no mercado nacional.

“Já estamos no período mais difíceis de pescar, que são meses
de Julho, Agosto e Setembro em que se torna difícil capturar os peixes na Guiné-Bissau, a não ser com embarcações de grandes capacidades que atingem as milhas,disse Augusto Dju em entrevista à ANG.
Acrescenta que muitos pescadores são agricultores, que quando chega a época chuvosa vão todos para o campo de lavoura.

Sustenta que a maioria dos pescadores não tem pirogas com capacidades para levar muitos dias no alto mar e que só usam pequenas canoas de remo que fica dentro de rio e na época de chuva o mar fica mais agitado pelo que muitos guardam suas canoas para se dedicar a lavoura.

Por outro lado, disse que, não há muito peixe agora por causa da invasão dos pescadores dos países vizinhos: Guiné Conacri nas localidades do sul do país e de Senegal, no norte e até Serra-leoneses e Ganeses refugiados, que acamparam no país e se dedicam atualmente a faina.

Dju adianta contudo que a partir de dia 15 de Agosto haverá falta de pescado do tipo tainha, bagre e djafal tendo em conta que vão emigrar porque vai haver muita água doce.

“Os peixes precisam de mistura de águas doce e salgada e nesse tempo começa-se a verificar a subida do preço do pescado, por rutura do stock”, afirmou.

Referiu que, nas zonas das ilhas neste momento existem muitos pescadores bijagós que deixaram de praticar a faina para irem ao cultivo de arroz e que só em Outubro, quando já terminarem a colheita, é que voltam à pesca e se dedicam ao mar 100 por cento.

Augusto Dju explicou que está-se agora no período de água morta em que a pesca diminui bastante, acrescentando que, daqui a pouco, o mar vai entrar no seu período de água subvivo em que os peixes reproduzem muito.

Dans la même catégorie