AGP Gabon : Le chef du village Nkarezoghe agressé par un éléphant MAP Le FMI s’attend à un renforcement de la reprise post-Covid au Maroc GNA President inspects 2,400MT capacity Oil Palm Mill under 1D1F GNA Government must up education on cashless payment systems AGP Guinée/Sport : Joseph Loua, premier athlète guinéen titré dans une compétition internationale plaide pour l’instauration de l’athlétisme dans le parcours scolaire AGP Guinée/média : Hommages à l’ancien DG de l’AGP Ben Daouda Sylla décédé l’an dernier APS PLUS DE 200 ENFANTS PERDUS DE VUE DE LEURS PROCHES RECENSÉS LORS DU GAMOU APS APRÈS AVOIR DIRIGÉ LES LIONNES, FRÉDÉRIC BOUGEANT NOMMÉ ENTRAÎNEUR DES LIONS APS LA MARINE SÉNÉGALAISE INTERCEPTE ‘’UN NAVIRE IMPLIQUÉ DANS UN TRAFIC INTERNATIONAL DE DROGUE’’ AIP Les inondations font des ravages parmi les communautés vulnérables du Soudan du Sud (HCR)

SaúdePública/Técnicos de saúde do Hospital Militar prestam serviço minimo ao Hospital Nacional Simão Mendes


  22 Septembre      24        Santé (11871),

   

Bissau, 22 Set 21 (ANG) – Alguns técnicos de saúde do Hospital Militar estão a prestar o serviço mínimo no maior centro hospitalar do país “Simão Mendes”, na sequência do boicote que os profissionais de saúde levam a cabo, há três dias, em todos os serviços de atendimentos de urgência daquela Instituição, .

Segundo apurou a ANG junto de familiares de doentes internados, a paralização já causou perdas de vida à pacientes, alguns estão a abandonar o Simão Mendes em busca de assistência noutras instituições hospitalares.
“Apelamos ao governo para o mais rapido possivel pôr cobro a situação, porque esta paralisação está a afectar negativamente a vida dos menos posibilitados”, disse Roberto Reis, familiar de

Cadigia Binta Djaló disse que o seu irmão foi operado no passado domingo, e que veio com eke na segunda-feira e foram suspreendidos com a vigência do que os grevistas chamam de boicote. Disse que ficaram dia inteiro sem tratamento.

A imprensa contactou o Director-geral do Hospital Nacional Simão Mendes (HNSM) Silvio Caetano Coelho para se pornunciar sobre o assunto, e em resposta disse que na passada segunda-feira, a Direcção Geral do HNSM foi surpriendido com um boicote total no sector de Saúde.

“Fomos pegos de surpresa com esta decisão dos nossos colegas de serviço.Não houve informação prévia por parte do sindicato, disse Coelho.

Alegou que, se houvesse uma informação sobre a iniciativa desencadeariam uma negociação para um acordo sobre o serviço mínimo.

Para Silvio Caetano, 95 por cento dos técnicos se ausentaram dos seus serviços, e diz que só compareceram os Directores e Enfermeiros Chefes de Serviços de urgência, num número muito reduzido, e sem capacidade para a cobertura de todos as necessidades de atendimentos .

“Para pôr cobro a situação, o governo entendeu por bem que devia enviar alguns técnicos de saúde do Hospital Militar para prestar seviço minimo com atendimento de casos de urgência que aparecem”, sustentou.

Sílvio Caetano disse que diligenciaram, sem sucesso, encontros de negociação com Directores se serviços e Efermeiros Chefes dos respectivos Serviços.

“Ninguém se dignou sentar-se com a Direcção do Hospital”, revelou Caetano Coelho.

Dans la même catégorie