MAP Bulletin de l’écologie de l’Afrique AIP « Franc succès » de la 8e édition de la “Journée de la retraite active’’ MAP Bulletin d’informations économiques africaines MAP Zambie : La lutte contre le chômage des jeunes au centre des priorités du Budget de 2023 (ministre) AIP Le PM Patrick Achi appelle les PME à une adhésion au programme PEPITE MAP Mali: Entretien entre le président Assimi Goïta et Vladimir Poutine sur le renforcement de la coopération bilatérale MAP L’Angola prône la sauvegarde du patrimoine culturel matériel et immatériel AIP Patrick Achi lance officiellement le Programme économique pour l’innovation et la transformation des entreprises MAP Nigeria: 25 millions de dollars de la BAD pour contribuer à réduire le déficit de financement du commerce MAP Golf: Le sacre au championnat d’Afrique des jeunes confirme la domination marocaine à l’échelle arabe et continentale (Mustapha Zine)

Direcção Geral sensibiliza comerciantes de Buba e Catió sobre vantagens das contribuições fiscais


  30 Octobre      28        Entreprises (462),

   

Bissau,30 Out 19(ANG) – A Direcção-geral de Contribuições e Impostos(DGCI), manteve terça-feira encontros com os comerciantes, proprietários de viaturas e sindicatos de transportes do sector de Buba, região de Quinara e Catió, em Tombali, tendo-lhes sensibilizado sobre as vantagens das contribuições fiscais.

Segundo o Director de Serviços de Repartição de Bairros Fiscais, da Direcção Geral das Contribuições e Impostos(DGCI), o encontro teve como objectivo esclarecer aos comerciantes de que com a introdução do novo sistema de cobranças, todas as suas contribuições irão directamente para os cofres do Estado.

Para o efeito, Eligário Semedo afirmou que o Estado está empenhado, cada vez mais, na dinamização e modificação do sistema do pagamentos.

“Anteriormente os pagamentos eram feitos directamente aos serviços de cobrança mas esse sistema já não existe. Agora os pagamentos são feitos nos bancos e os contribuintes levam apenas os talões que são introduzidos no sistema”, explicou.

Aquele responsável disse o novo procedimento é muito bom tanto para os contribuintes como para o Estado, acrescentando que todos conhecem a realidade do país com más condições das estradas que dificultam a circulação das pessoas.

Disse que os impostos que os cidadãos pagam ao Estado repercutem nas condições de vida das populações, através de construção de escolas, hospitais, estradas, entre outras.

“Por isso, pedimos a colaboração de todos os cidadãos nesse sentido, porque o Estado, no quadro de arrecadação das suas receitas fiscais, tenta sempre criar mecanismos de controle”, salientou.

Eligário Semedo sublinhou na ocasião que todos os contribuintes têm obrigação de ter o seu cartão de Finanças denominado NIF, acrescentando que, quem não dispor desse dispositivo não pode pagar impostos.

Em relação as contribuições dos transportes, aquele responsável disse que dantes eram o mesmo, através do processo manual, frisando que agora passará a ser feito por meio de um dístico.

“Será da mesma forma como se uma viatura passar na inspecção é fornecida um dístico que é colado no próprio carro. Os próximos pagamentos serão através destes moldes”, explicou o Director de Serviços de Repartição de Bairros Fiscais da Direcção Geral das Contribuições e Impostos(DGCI).

Por sua vez, em nome dos comerciantes do sector de Buba, Ussumane Badjé salientou que como contribuintes, normalmente pagam conforme as regras estipuladas pela Delegacia Regional das Finanças.

“Por isso ficamos contentes com o novo procedimento de pagamentos , certamente vai-nos dar a garantia de que as nossas contribuições vão directamente para os cofres de Estado”, referiu.

Disse que desde a entrada em vigor do novo sistema, normalmente os comerciantes do sector de Buba efectuam os seus pagamentos nos bancos para depois levar os talões para as Delegacias das Finanças.

Yaia Coté, Chefe de Posto de Cobranças de Impostos do Sector de Catió, lamentou a situação de Catió não dispor, até agora, de nenhuma agência bancária, o que prejudica muito os comerciantes locais.

“A título de exemplo, todos os comerciantes do sector de Catió se deslocam para Buba, pagando o transporte ida e volta para depositarem as suas contribuições nos bancos o que não lhes anima”, explicou.

Dans la même catégorie