AIP L’administration du lycée moderne d’Issia mécontente des résultats du premier trimestre AIP Le lycée moderne de Prikro enregistre un taux de réussite de 48% au premier trimestre AIP Le secteur informel de Ferkessédougou sensibilisé sur les avantages de la loi de finance AIP Un camion de transport termine sa course dans une résidence à Dabakala INFOPRESS Ministro da Saúde reitera que director-geral da OMS visita Cabo Verde este ano APS LE RÈGLEMENT SANITAIRE INTERNATIONAL, À L’AUNE DE LA CRISE DU COVID INFORPRESS Fogo: Câmara de São Filipe prevê reactivar biblioteca municipal este ano – plano de actividades APS BBY REMPORTE 13 DES 17 COMMUNES DU DÉPARTEMENT DE LOUGA APS CAN 2021 : UN QUART DE FINALE POUR EFFACER LA MALDONNE ÉQUATO-GUINÉENNE APS MATAM : BBY MAJORITAIRE AU CONSEIL DÉPARTEMENTAL ET DANS SEPT DES 10 COMMUNES

Insuficiência de água e altos custos de energia ditaram o encerramento do furo em Nossa Senhora da Luz – Água de Rega


  26 Novembre      19        Environnement/Eaux/Forêts (3638),

   

Cidade da Praia, 26 Nov (Inforpress) – O presidente da empresa Água de Rega, Jaime Ferreira, disse hoje que a insuficiência de água e os altos custos de energia ditaram o encerramento do furo PT06 na Freguesia de Nossa Senhora da Luz, São Domingos.
Em conversa com a Inforpress na sequência da notícia que dá conta de uma manifestação de protesto contra o encerramento desse furo, realizada hoje por um grupo de 16 agricultores de Ribeira de Achada Baleia – Cancelo, Jaime Ferreira explicou que a questão da sustentabilidade esteve na base da decisão.
“Nós estivemos a trabalhar no furo e concluímos que o furo não estava a produzir água. Tirava mais ou menos uma a duas toneladas de água por hora e depois tinha um custo elevadíssimo de energia e para chegar às parcelas dos agricultores já em vez de duas toneladas chega apenas uma”, disse, indicando que o custo de energia é mais do que o dobro do valor da facturação.
“O furo tem produzido 274 litros por hora com um custo de 12 mil escudos e facturação de seis mil escudos mensais”, precisou Jaime Ferreira que adiantou ainda que os trabalhos técnicos apontaram que o mesmo entrou em falência devido à sobreexploração, pelo que com os custos de energia a empresa não podia mantê-lo.

Dans la même catégorie


Article

  25 Janvier     7

Article

  24 Janvier     5