MAP Eliminatoires Mondial Costa Rica (Dames/U20): le match Bénin-Maroc interrompu en raison des intempéries ANP Présidentielle de février 2021 au Niger : Mahamane Ousmane réclame toujours la victoire. GNA Shai-Osudoku Assembly inaugurates classroom project AIP L’UDPCI planche sur son avenir et la situation sociopolitique nationale AIP Emmanuel Ahoutou prend fonction à la tête du Comité de privatisation AIP Le Trésor booste sa stratégie de mobilisation des recettes non fiscales AGP Guinée/Santé : Les regroupements et manifestations de masse autorisés à partir du lundi 27 septembre 2021 (ANSS) AGP Mamou-Coopération: Les nouvelles autorités de Mamou et celles de Kabala, ouvrent officiellement la frontière Guinéo-Sierra Leonaise AGP Guinée : La sage-femme Marie Condé revient sur les grandes lignes de la concertation de l’ONSFMG avec le CNRD GNA MTN donates GHC 100,000.00 to Otumfuo Education Fund

CIAM e CECAF reúnem-se na Praia focados em estratégias para defesa dos músicos e criadores na era digital


  28 Janvier      32        Arts & Cultures (1749), Musique (300),

   

Cidade da Praia, 28 Jan (Inforpress) – O Conselho Internacional de Autores de Música (CIAM) e o Comité Executivo do Comité Regional Africano da CISAC (CECAF) reúnem-se na Praia para traçar estratégia em vista à defesa dos direitos de autores e músicos nesta era digital.
Trata-se do primeiro encontro entre as duas organizações internacionais para a defesa e protecção dos direitos de autores, e está integrada no âmbito da missão da CIAM e CECAF a Cabo Verde.
Antes da reunião entre as duas organizações, que decorre num dos hotéis da capital, o presidente do CIAM, Eddie Schwartz, em declarações à imprensa, avançou que neste encontro vão traçar estratégias para que os músicos e autores possam ser devidamente compensados, quando as suas músicas e composições são tocadas na rádio, na televisão, ou quando o conteúdo é utilizado no youtube e nas plataformas Streaming, Itunis, Spotify.
Particularmente sobre Cabo Verde, esta figura reconhecida por escrever grandes clássicos, considerou que a música cabo-verdiana tem um “grande poder e são músicas lindas”, por isso, ajuntou, é preciso cobrar quando elas são tocadas no Brasil, em Portugal e Estados Unidos de América e outros países.
Esta manhã, a comitiva foi recebida no salão de banquete do Palácio da Governo, pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, que enalteceu o facto de o país estar a criar condições através da criação de leis para que as entidades de gestão colectiva e de propriedade intelectual possam fazer o seu trabalho.
AM/FP
Inforpress/Fim

Dans la même catégorie