GNA Thank you for giving us identity – Oti chiefs GNA Aggrieved customers of Gold Coast Fund Management on street protest GNA BPA constructs US$48 million-dollar solar energy plant Inforpress Praia: MpD enaltece intervenções da câmara municipal em resposta aos danos causados pelas últimas chuvas Inforpress L’UCID est contre la décision de la Cour constitutionnelle sur la distribution de t-shirts et de masques Inforpress Réclamer une nouvelle échelle salariale pour les agents de sécurité privés est juste – Syndicat Inforpress Claim for a new salary scale for private security guards is fair – union Inforpress São Nicolau: SN Turismo considère que le covid-19 a brisé l’incitation aux investissements dans le secteur du tourisme Inforpress Le président de l’ICIEG défend qu’avec une politique centrée sur les hommes, il est également possible d’atteindre l’égalité Inforpress Brava: Cabo Verdean Music Society is working to “fight” insularity – Responsible

Ilha do Sal: Proprietários de bares nos Espargos reclamam por alargamento do horário de funcionamento


  7 Août      9        Entreprises (285),

   

Espargos, 07 Ago. (Inforpress) – Um grupo de proprietários de bares nos Espargos, no Sal, reclamou hoje, junto à câmara municipal pelo alargamento do horário de funcionamento, porque a actual deliberação sobre a matéria, motivada pela covid-19, só lhes tem gerado prejuízos.
O grupo que se dirigiu à câmara municipal, embora sem encontro marcado para o efeito, foi recebido pelo edil Júlio Lopes, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, após primeira abordagem, logo à entrada do edifício.
Nesta conversa de quase uma hora, uns e outros, manifestaram dificuldades na facturação diária, dado o horário de funcionamento, ora em vigor, que estabelece o encerramento de bares, no caso concreto, até às 21:00.
Situação que, conforme dizem, tem dificultado no pagamento das despesas e cumprimento das suas responsabilidades.
Perante a reclamação, Júlio Lopes explicou, entretanto, que esta deliberação não é da competência da autarquia, anunciando, ao mesmo tempo, a isenção do pagamento das licenças, alvarás, e a redução da taxa de lixo em 50 por cento (%), acauteladas pelos serviços camarários, tendo em conta a presente conjuntura.
Paulo Martins, que falava em representação do grupo, disse não terem saído satisfeitos do encontro, já que “nada mudou”, aguardando intervenção da câmara junto do Governo, no sentido do alargamento do horário de funcionamento dos bares por mais duas horas.
“São poucas horas de trabalho, não vendemos nada. O que agora facturamos não nos permite honrar os compromissos com os trabalhadores, dominar esse mundo de impostos(…), além de também sofrermos perseguição do IGAE e da Polícia Nacional. Desta forma não há quem aguente”, desabafou.

Dans la même catégorie